quarta-feira, 13 de maio de 2015

Relacionamentos interpessoais: buscando um denominador comum

Relacionar-se é uma tarefa, por vezes, complexa e paradoxal, o que deveria ser de fácil desdobramento, se torna um campo minado, e isso devido a inúmeras variáveis, pois, a mente humana é uma caixa complexa e insondável de mistérios. Quanto mais nos conhecemos como seres humanos, mais interrogações e incertezas acerca de nossos comportamentos vêm à tona, por isso os relacionamentos interpessoais são, ao mesmo tempo, fáceis e complicados.


Somos seres ambíguos, acertamos e erramos, magoamos e perdoamos, e o mais interessante é que, decepcionamos a todos, pois não somos perfeitos, todavia, não sabemos lidar com a decepção alheia, ao menor sinal de decepção dos outros em relação à nós, temos a propensão de excluir tais pessoas de nossas vidas de forma sumária, sem ao menos cogitar a possibilidade de que, a outra parte é imperfeita, e quais as circunstâncias que fizeram tal pessoa errar.

Pedir perdão é fácil, pois, quando erramos, é mais fácil tentar contornar a situação, mas perdoar é algo muito mais difícil para muitas pessoas, pois, esta ferramenta é algo que, na maioria das pessoas, não se é trabalhada de forma plena e contínua, sendo assim, somos compassíveis com os nossos erros, mas implacáveis com os erros alheios, resultado, ao invés de perdoar, torna-se mais cômodo deletar as pessoas de nossas vidas ao invés de exercer a ferramenta do perdão, e com isso, prosseguimos sempre exigindo a perfeição dos outros no que tange aos nossos relacionamentos alheios,  pois não toleramos os erros dos outros, mas os nossos tentamos varrer para debaixo do tapete.

Para adquirir um amadurecimento contínuo em nossos relacionamentos, urge entendermos que, os erros e decepções são frequentes em ambos os lados, e que o perdão e a compreensão precisam ser constantemente exercidas em nome da sabedoria e do fortalecimento dos laços de amizade. Quando nos colocarmos no lugar do outro em todas as situações, conseguiremos nos enxergar do outro lado da situação, então ficará mais fácil visualizar as tensões de forma cônscia, e uma solução sábia será sempre tomada em nome do bom relacionamento.


Paulo Cheng 

3 comentários:

  1. Tuas reflexões sempre maduras e bem pensadas de verdade! abraços,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica, eu é que agradeço o seu carinho, grande abraço pra ti.

      Excluir
  2. Oi Cheng
    Ótimo post meu amigo. Quando vc escreve que temos que nos colocar na posição do outro, aí está o segredo para dar certo o relacionamento.
    Bjos. para ti e para Michel.

    ResponderExcluir

Olá queridos, você está em meu site, o paulocheng.com, um espaço onde eu escrevo e posto minhas impressões, meus devaneios, minhas inspirações e sandices, desde já agradeço pelo acesso, lembrando que você não é obrigado a comentar, pois não há uma obrigatoriedade ou imposição, caso você não ache interessante ou esteja com preguiça, não tem problema, o que quero aqui é o prazer acima de qualquer coisa, e não obrigatoriedade, ok? Que Deus possa te abençoar em Cristo Jesus.