quarta-feira, 27 de junho de 2012

Para não viver em vão


Foto extraída da internet

Para não viver em vão é preciso oscilar entre as margens do bem e do mal, do ódio e do amor, da delicadeza e da estupidez. Por algum motivo, a sabedoria milenar acertou: a virtude pertence aos moderados. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra.

Para não viver em vão é preciso flutuar com leveza. Se necessário, encher os pulmões de nitrogênio e acompanhar o voo dos balões. E se o desejar as altura for inevitável, não deixar  que o fascínio das nuvens roube o acocorar-se ao lado de quem está agrilhoado à crueldade da vida.


Para não viver em vão é preciso levar-se a sério. Mas não com tanta gravidade. Alguns, impertinentes, deixam a impressão de que a virtude é incômoda – como uma mala sem alça. Tem hora que é bom viver sem propósito, ao sabor dos ventos. Por que não celebrar a improdutividade? Por que não aplaudir as cigarras? Seriam as formigas, que seguem em fila sem notar que obedecem a rainha, o melhor exemplo?

Para não viver em vão é preciso vez por outra desentrevar a espiritualidade de protocolos solenes. O cerimonialismo torna a fé um assunto para gente sisuda. Que alívio considerar Deus “um cara muito legal”, compreensivo,  longânimo e que não mete medo. Que tal ensinar que Deus gosta de tornar qualquer um íntimo seu?

Para não viver em vão é preciso evitar varrer a inveja para debaixo dos tapetes do cinismo, assumir-se sem afetação, procurar o próprio caminho; e ter coragem de cantar no banheiro.

Para não viver em vão é preciso acordar tarde, comer chocolate sem culpa, presentear perfume caríssimo, sentar para almoçar sem hora para acabar, desligar o telefone celular, conversar um monte de besteira, rir à solta e ler romance.

Para não viver em vão é preciso acompanhar algum esporte, aplaudir trapezistas, sofrer com equilibristas, vibrar com contorcionistas, crer em mágicos e rir de palhaço; claro, gostar de circo.

Para não viver em vão é preciso ladear aquele que se desgasta pela justiça e reverenciar quem não se deixou entrevar pelo narcisismo; não confundir solidariedade com comiseração.

Para não viver em vão é preciso fazer da prece um compromisso, das convicções uma porta para o diálogo e da fé um convite para encarnar o divino.

Para não viver em vão é preciso fazer do instante fugidio um aceno de eternidade, da liberdade um compromisso com o próximo e da discordância uma oportunidade para crescer.

Para não viver em vão é preciso coragem para pedir perdão.


Soli Deo Gloria

Texto do pr. Ricardo Gondim

16 comentários:

  1. oi Paulo, meu irmão em Cristo.

    Tudo bem? Sempre os texto do pastor são edificantes. Trouxe esperança, amor, entendimento e fortaleza.

    Deus contigo e Michel!

    Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Lu, gosto dos textos do Gondim, são bem leves, gostosos de ler e nos trazem sempre esperança.

      Abração pra ti.

      Excluir
  2. Bom dia Cheng, meu irmão de fé
    Nada como começar o dia com uma mensagem maravilhosa como essa, se eu colocar metade do que foi dito em prática, eu sei que a minha vida não será em vão (kkkkkkk). Muito bom, amei! Vou colocar uma frase no meu face ok?!
    Bjos. para ti e para Michel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Lu, gosto das mensagens do Gondim, e como precisamos de mensagens otimistas, pois a vida é tão árdua, que precisamos de alguns refrigérios.

      Abração amiga.

      Excluir
  3. Para não viver em vão é preciso saber viver intensamente o amor ao próximo, saber reconhecer o erro e pedir perdão, ter lealdade, caridade, não ser orgulhoso e, muito menos preconceituoso, é saber dar valor ao bem maior que recebemos D'ele: a vida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Bel, tava com saudade de teus comentários por aqui e como o texto diz, viver é algo que pode ser amenizado com amor, perdão, gentileza, etc.

      Grande abraço.

      Excluir
  4. Pois é, e tem tanta gente que apenas passa pela terra, sem deixar nada nem agregar. Como um isopor. Sem alma, sem sentimento, etc.

    Pra mim o cara se apaixonando uma única vez, já não viveu em vão. Nem digo amar, digo se apaixonar, pois acho mais intenso.

    Abraçãoo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, não quero passar por aqui sem ter deixado um rastro bom, tem gente que vegeta, não vive, e a vida é boa pra caramba, tem muita coisa legal pra se viver e aproveitar, mas tem muito babaca por ai que não vê isso.

      Abraço mano.

      Excluir
  5. Mensagem cheia de sabedoria.Linda! Belo compartilhamento!!abração,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cheia de sabedoria mesmo Chica, grande abraço pra ti.

      Excluir
  6. Oi Paulo!
    Nossa, esse texto é incrível! Me fez lembrar de uma redação que eu fiz esses dias, cujo o tema era: Viver Intensamente ou Viver com Moderação. Eu diria que sou um meio termo, diria que pelo que eu vivi e estou vivendo, acho que não estou vivendo em vão. Aproveito oportunidades sempre que aparecem e nunca me arrependo por ter feito algo, e sim por não ter feito!
    Sobre o seu comentário: Que bom que gostou do novo visual do blog!
    JAMAIS eu vou abandonar o blogger, isso é certeza! Pode ter certeza que se um dia eu sumir, ou vai ser para estudar ou em casos como este kkk
    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Duda, que coincidência mesmo, e o tema de tua redação foi muito legal, gostaria de ler. Em relação ao blog, também amo esse espaço aqui, mas essa minha fase de correria em breve acabará, e terei mais tempo para me dedicar.

      Valeu pelo comentário.

      Excluir
  7. Mais um excelente texto esse hein! E muuuuito verdadeiro .
    Chengão mais uma bela escolha essa sua!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Mansim, lindo texto não é? Gosto muito do Gondim, seus textos nos fazem refletir bastante. Abraço pra tu.

      Excluir
  8. para não viver em vão... isso tem mesmo o que se lhe diga, verdade, caro amigo? ainda assim, o que vale e não vale a pena não é universal e é por via da necessidade de refinarmos o que nos serve/não serve que temos de encarar a vida como um processo aberto, em permanente construção.

    um forte abraço!

    p.s. estou em falta contigo; o prometido será devido. desculpa este atraso todo. abraço renovado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Jorge, concordo contigo, nem todas as pessoas sabem encarar a vida de forma aberta, pois no final de tudo, o que vale é a felicidade, os problemas ficam.

      Excluir

Olá queridos, você está em meu site, o paulocheng.com, um espaço onde eu escrevo e posto minhas impressões, meus devaneios, minhas inspirações e sandices, desde já agradeço pelo acesso, lembrando que você não é obrigado a comentar, pois não há uma obrigatoriedade ou imposição, caso você não ache interessante ou esteja com preguiça, não tem problema, o que quero aqui é o prazer acima de qualquer coisa, e não obrigatoriedade, ok? Que Deus possa te abençoar em Cristo Jesus.