quinta-feira, 24 de maio de 2012

3º Promoção: "quer ganhar um livro?"



Olá leitores fanáticos pelo meu site, de tanto vocês insistirem, aqui está mais uma promoção: “quer ganhar um livro?”, e desta vez o tomo é de alto nível, um livraço da rainha do crime: Agatha Christie, e o Best Seller é “Assassinato no Expresso Oriente”, que foi publicado em 1934, uma trama espetacular, intrigante, inteligente, e com um final surpreendente, já li duas vezes, e nessa nova edição que comprei especialmente para o sorteio a capa é diferente da original.


Como sempre vou instigar a imaginação de vocês e aquele que for mais criativo e/ou inusitado vai receber este livro inteiramente grátis em sua casa, sem despesas nenhuma. Então vamos ao trabalho, desta vez vou escrever uma pequena estória, não à altura da Agatha, mas bem simples, e o Grand Finale quem vai escrever é você meu caro blogueiros, o final mais legal fatura. Então a estória é o seguinte, depois das reticências vocês completam.

“Amanda é uma jovem de 23 anos, solteira, negra, bonita e inteligente, mora com os pais e seus dois irmãos mais novos, o Pedrinho de 10, e o Miguel, de 6 anos, e com necessidades especiais, seu pai, o José Tibúrcio, tem 62 anos e é aposentado, sua mãe, a dona Angelina, tem 53 anos e vivem numa casa simples e carente, num subúrbio pobre do Grande Recife.

Amanda, recém formada na faculdade no curso de Letras, dá aulas em três escolas nos três turnos, manhã, tarde e noite, numa rotina muito cansativa, porém com um salário razoável ela sustenta a casa, pois a aposentadoria de um salário mínimo do seu José não é suficiente para cobrir todos os gastos. Amanda dá aula de segunda à sexta, sai de casa às 6:00 da manhã e retorna às 23:30, e só tem os fins de semana para descansar.

Na última sexta-feira, Amanda estava ansiosa para que o sábado chegasse, pois iria comemorar o aniversário do seu irmão mais novo, o Miguel, que completaria 7 anos, um garoto muito amado e que possui necessidades especiais, e todos os preparativos de sua festinha de aniversário estavam prontos. Quando Amanda sai de sua última aula, pega um ônibus e vai para casa, descendo na parada, percorre o mesmo trajeto diário, onde levaria uns 10 minutos à pé para a sua casa, e percorreria uma rua erma e escura. Com passos rápidos e firmes, a professora apressa-se para chegar em casa, caminhando rápido ela sente passos atrás de si, com um mal pressentimento ela anda mais depressa, mas percebe que as passadas atrás se intensificam também, seu coração começa a ficar taquicárdico e ela começa a ter sudorese, tamanho o medo e desespero, o pavor toma conta de si e ela decide correr, e com as pernas trôpegas de medo ela corre alguns metros, tropeça e cai, espalhando os livros no chão, e abruptamente uma sombra encobre os livros espalhados pelo chão, ela olha para cima para ver quem era e...”

Bem, agora o resto é com vocês, soltem a criatividade, o final, que pode ser  trágico ou não, depende da imaginação de cada um, o melhor final recebe em casa o livro.

Abração pra todos e boa sorte!

Paulo Cheng




   

44 comentários:

  1. Hello everybody, a estória que criei tá meio tosca, clichê, mas não sou Agatha Christie, mas o que vale é a intensão, então vamos participar e soltar seu lado escritor, e aqui não tem 171 não, ganhou, levou, então espero suas respostas.

    Abração.

    ResponderExcluir
  2. E...vê Raimundo, um de seus alunos do turno da noite.

    Aliviada, recuperando-se do susto, feliz em ver aquele rosto conhecido ao invés de um bandido, como imaginara. Levanta-se com a ajuda dele e cai em seus braços.
    Subitamente, num impulso, Raimundo a beija e declara seu amor, dizendo há muito esperar por uma oportunidade de lhe falar à sós...

    Ela, que carente de amor, se entrega sem pensar, beijam-se,abraçam-se, amam-se ali mesmo,no breu.

    No dia seguinte, ao chegar à escola,sua demissão estava pronta...
    Mas e a festa do irmão? Com que cabeça faria? Não importava! Ela conseguiria fazer uma linda festinha como merecia e logo tratou de convidar Raimundo, que agora passaria a fazer parte da família. mais um, ela deveria sustentar. Ela queria! Era sua sina.Apenas isso ela sabia fazer!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahah... adoreeeeeiii a imaginação da Chica!!!!!

      Excluir
    2. Chica, rápida no gatilho, parabéns, amei tua conclusão, que talento vc tem, já é forte concorrente para o livro, desde já agradeço e fique no aguardo, por esses dias divulgo o vencedor.

      Abç.

      Excluir
  3. Paulooooo, eu vim correndo para ver o desafio(eu sabiiiiia que vc colocaria um super desafio aí! rsrsrsrs... vc é desses, né danado!? rs)... mas, olha, fiquei aqui pensando, pensando, pensando... não dou conta de criar essas histórias aí não. Quer dizer, até sou, aqui dentro da cabeça, sabe!? Tenho uma imaginação danada... mas, na hora de "iscrivinhá" parece que me embanano toda! ahahahah... vou pensar mais um cadim e vejo se crio coragem de vir aqui, ok!? hahahahhahahahah... adorei!!!

    Abração JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joicy, não se subestime, vc é criativa e escreve bem, e isso você tira de letra, espero tua conclusão, ok?

      Excluir
  4. Não li mas já vi o filme diversas vezes.
    É deslumbrante a história e o seu desenvolvimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também vi o filme, mas antes li o livro umas duas vezes, e o final é de tirar o fôlego Luis, abração pra tu.

      Excluir
  5. E... era Mário, um ex namorado violento com quem tivera um romance rápido anos atrás, e sua gangue. Com olhar visivelmente transtornado, encara seus olhos amedrontados e muito nervoso esbraveja:

    - Quer fugir de mim novamente? Eu ainda não engoli a nossa separação!
    - Claro que não Mário! Pensei que fosse uma tentativa de assalto. - Disse a moça nervosa ainda no chão.
    - Talvez fosse melhor para você o assalto...

    Ao observar Mário retirando uma arma que estava presa a cintura, Amanda levantou-se para tentar escapar, no entanto sentiu os braços musculosos do antigo amor envolvendo seu pescoço e o cano da arma em suas costas.

    Chorando muito, Amanda só pensava na família, pois todos ali dependiam muito dela e sem mais o que fazer passou a orar fervorosamente, tanto que não escutou o "click" do revólver sendo armado.

    - Quero ver agora esses livros te ajudarem! E se não pode ser minha não será de mais ninguém! - Sussurrou Mário no ouvido direito da jovem, que aquela altura já não prestava-lhe atenção absorvida em sua fé.

    Mário estava decidido e quando iniciou o movimento para apertar o gatilho sentiu algo perfurando-lhe as costas. Imediatamente largou Amanda, colocou a mão no ferimento e caiu de joelhos. Olhou para trás e viu Robson, seu parceiro de bando, com uma adaga em mãos.

    - Por que? - Disse Mário agonizando em seus últimos momentos.
    - Chega de tanta barbaridade! A moça é direita e merece viver, mas você... Pegue seus livros e corra dona, não olhe para trás!

    Amanda fez como Robson ordenara e correu para casa o mais rápido que pôde. Ao chegar em casa, percebeu que não deveria falar nada do ocorrido, pois não queria estragar a felicidade dos seus amados por conta do aniversário de Miguel.

    Ao receber um caloroso beijo do seu pai em sua mão direita, Amanda em pensamento só agradecia a Deus por estar ali e apesar de tudo feliz junto aos seus.

    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Crítica <--

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, tiro o chapéu para o teu desfecho, sensacional Flávio, digno de um conto de Agatha Christie, e tudo à ver com a estória, e muito boa a tua percepção e talento para a escrita, parabéns Flávio, forte concorrente, valeu pela participação.

      Abração.

      Excluir
  6. O rosto não parecia-lhe estranho, mas não o conhecia. O rapaz estendeu a mão para levantá-la, entregou-lhe uma flor, sorriu rapidamente e continuou seu caminho a passos largos, pensando, "que menina linda, será que tem namorado ou é casada? Tomara que a encontre novamente...".
    Enquanto isso, Amanda, desconcertada, recolhia os livros do chão e dizia para si, "me parece que hoje a vida sorriu para mim..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bel, um final bem singelo, e receber uma flor nesta circunstância é algo inesquecível, kkkk, mas legal, uma garota esforçada que merece ser feliz, não?

      Valeu Bel pela participação, abração pra ti.

      Excluir
  7. Paulo, meu amigo de fé!
    Bah! Amigo!
    Se eu te disser que já li esse livro... muito bom por sinal! Por isso, e apenas por isso, não vou participar da promoção, porque não seria justo se eu ganhasse, tá bom?

    Grande abraço para ti e a Michel!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa Cissa, que pena, mas que bom que vc já conhece a obra desta autora maravilhosa, eu já li umas duas vezes esse livro e já vi o filme, é sensacional.

      Obrigado pelo abraço, pra ti também.

      Excluir
  8. Paulo, meu amigo de fé.

    Tudo bem? Vamos ao final: quando Amanda se vira, percebe que o vulto era na verdade o seu antigo amor que aguardava ansiosamente há 05 anos aquele encontro. Subitamente, ela se vira e sem notar, empurra-o que bate a cabeça e perde a memória e aí Amanda resolve dedicar a sua vida a recuperação daquele que por ela, daria a sua vida.

    Paulo, acho que não é muito o meu estilo de escrita, risosss

    Beijos e bom final de semana abençoado para você e sua esposa.

    Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Lu, o importante é a brincadeira, só a tua participação já é um prêmio pra mim, mas gostei, fica aguardando que na próxima semana eu sorteio.

      Abração.

      Excluir
  9. Paulo, eu não ia mesmo participar... mas, cheguei agora lá no grupo e vi o Flavinho aconselhando-me a participar da promo. Então, aqui vai... eu acabei de dizer à ele que se não saisse nada dentro de dez minutos, desistiria! Então, senta que la vem a continuação da "estória"...

    Amanda olha para cima para ver quem era e se depara com um ser logo adiante. Ela não consegue ver ao certo, pois a escuridão não permitia ver nada além de vultos... Nesse momento passam milhares de situações em sua cabeça. Seria um serial Killer? Um ladrão ou simplesmente um morador de rua? Mas de todas as coisas que passam por sua mente, essa era a única que ela jamais imaginaria... o homem era nada mais nada menos do que o vampiro purpurinado, Edward Cullen. Depois de prender a respiração, de tanto medo, finalmente ela relaxa e diz: "Pô, Edward... se fosse para encontrar um vampiro, que fosse o Drácula de Bram Stoker ou então o lindão tudibão, Eric Northman. Mas, vc? Aí tbem já é demais... aff, nem pra encontrar um vampiro decente eu sirvo!"

    Amanda vira as costas e vai embora, zangada... esquecendo os livros no chão!

    JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tentei... kkkkk... foi o que consegui em tão poucos minutinhos, Paulo! rs

      Excluir
    2. Joicy só você mesmo, pensaria em tudo, mas um vampiro nessa hora, kkkkkkkkk, demais mesmo. Olha ai, tá vendo que espremendo sai alguma coisa interessante, kkkk. Valeu pela participação, o importante aqui não é a superação do melhor comentário, mas a simples colaboração na participação, e te agradeço por isso.

      Abç.

      Excluir
    3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk........rindo da história da Joicy, adoro pessoas com senso de humor!

      Excluir
    4. Vampiro purpurinado? kkkkkk Essa Joicy! =D

      Excluir
    5. Pô, por minha criatividade acho que mereço pelo menos metade desse livro aí! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  10. paulo, meu querido amigo,
    cometi um erro, admito-o já. comecei a ler as diferentes propostas de fecho da narrativa e acabo por ir, invariavelmente, parar às palavras dos outros. por isso mesmo, encosto-me aqui em silêncio à espera do veredito final. confesso que, após a leitura, tenho a minha versão favorita ficando a torcer por a ver triunfar. até porque o prémio é ótimo - grande título aqui em promoção.

    um forte abraço para ti e para tantos que aqui vejo como meus amigos também.

    ResponderExcluir
  11. --Amanda querida porque esta tão nervosa ?
    --Ai nem sei ...aiiii meu coração palpitando ...ai professor
    --E como está seu irmão ?
    --Miguel ?
    --Sim, o garotinho Miguel como ele está?
    --O sr sabe que ele ...
    O homen tapa a boca de Amanda
    Amanda empurra o homem
    --Tem algum...
    O Homen tapa novamente a boca de Amanda mas ela
    empurra a mão
    ---Meu irmão !!!!!
    ---Seu irmão é ..
    Amanda consegue correr muito e o homem corre trás
    ela chega a uma bifurcação do beco , ... ela entra numa ruazinha cai no chão e respira aliviada ...
    Amanda fica tonta e quase cai ...
    O homem aparece e Amanda tenta levantar mas não consegue
    ---tadinha
    ---Por Fav.
    ---Cala a boca
    ---Aiii
    Amanda fica tonta e desmaia ...
    ......................
    Amanda acorda em um lugar escuro
    á sua frente um homen alto e gordo
    ---Meu Deus !! Miguel meu irmão
    ---Calma
    Amanda da um tapa no homem mas ele é forte e ela cai
    ---Queridinha
    ---SOCOROOOOOOOO
    O homem segura Amanda e ela começa a se debater
    ---Calma Linda
    ---Desgraçadoooo
    Com a porta aberta do cárcere aberta Amanda consegue escapar até a salinha e sem perspectiva nenhuma pega uma caneta da mesa e avança no homem
    ---Vem seu desgraçado !!!
    ---Tu é muito Burr..
    Amanda avança no homen e ataca no braço
    Ele cai e ela consegue colocar a caneta perto da cabeça dele
    ---Amanda ..Eu ..
    Ela nervosa empurra ele e sai correndo
    Ele vai atrás gritando
    --Amanda !!!
    Ela corre muito e para cansada e vira
    ---MEU IRMÃOOOO
    Ele se aproxima e Amanda escuta um tiro
    .
    O Homen cai...
    MORTO !!!
    Amanda cai no chão desesperada e ouve passos .
    Ela ve um homem alto moreno com um arma .
    ---Amanda ?-fala o homem
    ---Meu Deus ... me ajude- diz ela
    Amanda abraça o homem
    ---Ele .. -diz Amanda soluçando
    ---Venha comigo ...
    O homen segura Amanda com rudez ..
    Ela escapa e fica frente a frente
    ...
    ---Miguel -diz ela soluçando
    ---Vc não ve onde esta garota ? longe de tudo ?
    O homem que voce estava com medo talvez fosse lhe salvar
    --- Seu irmão foi sempre tão bonzinho comigo
    Amanda cai no chão e olha bem nos olhos do homem
    ---Miguel ... moço faça tudo comigo , mas cade Mi..
    O Homem segura o pescoço dela
    ---Lembra quando caiu ???
    --- Cade Miguel ???
    ---Quando caiu tropeçou no cranio do teu irmão ...
    ---CADE MIGUELLLLLLLLLLLLLLL
    Ouve-se um tiro
    O Homen cai por cima de Amanda que grita MIGUELLL sem parar
    A policia chega ate ela , tira o corpo do homem
    O Homem esta morto .
    Amanda levanta chorando e ao longe ve Miguel .
    Ela chora mais ainda
    Um Policial chega com Miguel ...
    ---Conseguimos finalmente pegar o pedófilo , não se preucupe apartir de agora será sempre assistida por nós ...
    Amanda abraça Miguel chorando sem parar ...
    O Policial chega ate o corpo e ri bem baixinho
    ---Segredo nosso , Miguel sera sempre NOSSO !!!


    http://andyantunes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andy, sensacional, de tirar o fôlego, que trama maravilhosa, e confesso que é realmente difícil criar uma trama assim, com muito suspense e um final bem legal, mas vc conseguiu e está de parabéns, agora é só torcer para ganhar.

      Obrigado pela participação.

      Excluir
  12. .... vê um senhor, de aparência cansada, aparentando mais ou menos sessenta anos.
    - Desculpe, moça.. eu não queria te assustar... A senhorita por acaso se chama Amanda?
    - Si..sim.. responde Amanda, ainda assustada - e.. o senhor..
    - Oh, desculpe o mau jeito... Eu.. estive procurando você, Amanda, minha vida toda..Desde que perdi o grande amor da minha vida..
    - O senhor está falando de...?
    - Sim, querida. Angelina, sua mãe. Amanda... eu.. eu sou seu pai, querida.. sei que é difícil de acreditar...
    -Não posso acreditar, meu pai é José Tibúrcio, ele e minha mãe se amam. Muito! O senhor está confundindo..só pode..
    - Não, minha filha.. deixe-me falar.
    Amanda suspira e resolve dar uma chance ao senhor, que apesar das circunstâncias insólitas em que a abordou, parece ter um semblante digno.
    - Tudo bem.
    -Amanda... foi há muito tempo. Sua mãe e eu éramos jovens..e eu a amava muito, muito mesmo. Mas na época, não sabia o quanto ela significava para mim. Então, depois de pouco tempo de namoro.. foi inevitável. A gente se amou... muitas vezes. E um belo dia ela disse que estava grávida. Eu.. fui um idiota, um irresponsável. Me sentia novo demais para criar um filho. Tivemos uma discussão horrível.. Angelina foi embora. Não mais a vi. Depois de um tempo, fiquei sabendo que ela havia mudado, conhecido José Tibúrcio e que eles estavam muito felizes.
    Eu já havia me arrependido de ter sido tão estúpido,percebi que a vida sem sua mãe não teria sentido algum, mas não tinha o direito de estragar a família que ela havia formado... eu não podia.
    Mas nunca deixei de pensar nela, e em você...
    Semana passada, vim para cá, depois de ouvir alguém falar que uma senhora chamada Angelina morava por estas bandas. Eu precisava acertar contas com meu passado. Eu precisava te conhecer.
    - Mas, senhor...
    - Severino.
    - Senhor Severino, minha mãe nunca disse nada!
    - É compreensível, querida Amanda... ela ficou muito magoada com o que eu fiz, e com razão.. Mas agora, que encontrei você.. minha filha! Sabe, estou me sentindo doente, e precisava encontrar você para partir em paz... você.. você me perdoa?
    - Senhor.. Severino - Amanda pensava antes de proferir cada palavra, a situação era tão surreal!
    O senhor... eu.. bem..
    - Amanda.. minha filha. Vou ficar nesta cidade agora. Não vou forçar convivência com você, não vou obrigá-la a chamar-me de pai.. só peço uma coisa.. Quando nos encontrarmos, podemos conversar? Quero saber sobre você, sua vida, como está.. sei que não posso recuperar o tempo perdido.. mas posso conhecer um pouco de você e ser pelo menos seu amigo..?
    - É um pedido razoável. Podemos nos encontrar mais vezes, sim.
    Os olhos de Severino deixam escapar duas lágrimas, silenciosas. Ele dá a Amanda um pedaço de papel com um endereço, de um bairro não muito distante dali.
    Amanda dá um abraço no homem, e vai para sua casa.
    Chegando lá, Angelina nota algo de diferente em sua expressão... No dia seguinte, após a festa de aniversário de Miguel,Amanda chama a mãe em seu quarto para conversar. e conta tudo o que aconteceu na noite anterior.
    Angelina tem um sobressalto, chora nos braços de Amanda e confirma toda a história. Só pede um favor: que Amanda não conte nada a José.
    As duas decidem que José Tibúrcio não precisa saber, por enquanto.. e, duas vezes por semana, Amanda passa a visitar o pai biológico, construindo uma bela amizade com ele. Amanda está muito feliz, pois agora tem dois pais igualmente carinhosos.
    Um belo dia,Severino manda chamar Amanda.. está muito doente. Angelina vai junto.. Os dois conversam serenamente, Angelina perdoa Severino, que suspira:
    -Finalmente posso partir em paz. Obrigado, Senhor!
    Depois de alguns dias, finalmente Severino descansa. Ao pai, Amanda diz que Severino era um amigo muito querido. Os três vão ao enterro e Amanda, ao final da cerimônia, deposita com carinho uma bela flor na lápide de Severino, com um cartão e nele as palavras: "Descanse feliz, papai".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Devaneios, mais um final surpreendente, onde um segredo do passado vem à tona de forma tão inesperada, que inspiração vc teve, gostei bastante do teu desfecho, e desde já te parabenizo pela criatividade, parabéns mesmo.

      Abração pra ti.

      Excluir
  13. E ae Chengão! Tudo bom?
    Adorei essa sua idéia nova para o sorteio! Acho demais os livros da Agatha..e vi versões muito boas para a história.eu só não participo porque essa noticia me pegou de surpresa e não tenho tempo agora para bolar alguma coisa. Mas...desejo sorte para os outros participantes!
    É..eu acho que com a onda da interação virtual, nós blogueiros estamos atingindo um novo nível de interação ligado á telepatia! \o/ Será uma nova rede social psíquica..ficarmeos mais ricos do que o Zunemberg! /o/
    Ah sim..minhal ista top7 está repleta de anos 80..mas é que essa época teve músicas sensacionais e atemporais...lembro que nos rolês que eu ia smepre tocava clássicos 80s...especialmente The Cure (um clássico gótico). Morrissey é muito bom memso..o vi pessoalmente e garanto a qualidade rs.
    Eu não sou assim tão fã dos Ramones mas sei o quão importante esses caras foram. Sem eles, o que seria do punk não é? Garbage é dos anos 90 sim e a Sarah Brigthmann comçeou carreira na década de 80, mas ela é voltado para a ópera/lírica.
    Valeu por ter gostado da lista..tentei elogiar as músicas sem exagerar muito rs.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tsu, que pena vc não participar, mas fica esperta, sempre vai rolar essas promoções por aqui, sim gostei de tua lista, bom gosto vc tem garota.

      Abç.

      Excluir
  14. Oi Paulo
    e....... era apenas um morador de rua pedindo dinheiro:- dá dois real aí moça, tenho que comprar leite prá cinco filho, e num tenho nem um real no bolso, tô desempregado, sabe como é né?! Eu podia tá robando, mas invês disso eu tô pedindo pur favô moça, meus fios tão morrendo de fome!
    Amanda olha para o homem, ela está com pressa, não é rica, mas vê nos olhos dele sinceridade, vê nas palavras dele que não teve chance de estudar, será que ele está falando a verdade? Será que ele vai comprar drogas ou bebidas, ela não tem tempo de julgar, abre a carteira e dá logo os dois reais, Deus é quem sabe o que ele vai fazer com o dinheiro.
    Ela vai para casa se diverte com sua família! Enquanto isso o homem sai contente com os dois reais entra no mercado e compra um litro de leite para seus filhos que os esperam com alegria em algum lugar em baixo de um viaduto, esse leite com açúcar foi a única refeição que eles tiveram no dia. F I M

    Bjos. e um ótimo final de semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo final Lu, e uma realidade gritante que está ao nosso redor, quantas vezes isso não acontece conosco? Bem criativa, parabéns e obrigado pela participação, vamos aguardar o sorteio.

      Excluir
  15. Minha participação, espero que gostem!!!


    ... com a escuridão ficava quase que impossível ver quem estava ali, mas Amanda estava mais preocupada em recolher os livros que caíram no chão, que qualquer outra coisa.
    Todos os dias, ela chegava ao ponto de ônibus às 5h45 da manhã, sempre com um livro na mão, Amanda era uma daquelas leitoras fanáticas, que devorava livros e mais livros. Pena que seu tempo era tão curto, ela sempre lia nos intervalos do colégio e dentro no ônibus. João sempre a observava, como era interessante as feições dela, parecia que ela entrava em transe a cada página que ela virava. Mas sempre tão concentrada em sua leitura ela nunca havia percebido que ele a admirava.
    João era um rapaz simples, com pouco estudo, porém muito curioso e observador. Admirado com a animação que Amanda demonstrava ao ler seus livros, ele começou a despertar o interesse pela leitura. No começo ele encostava a cabeça do lado dela e lia a página aleatória que ela estava lendo, mesmo sem preocupar com o enredo. Depois ele começou a ler os títulos dos livros que ela lia, anotava em sua caderneta e depois passava em um sebo para procurar o livro que Amanda lia.
    E isso ele fez, foram vários livros que ele “copiava” de Amanda. Só que aquele dia, ela havia esquecido um de seus livros no banco do ônibus. Neste dia ela carregava algumas sacolas com as coisinhas do aniversário de seu irmão. E João, no compromisso de entrega-lo à moça, acabou saltando dois pontos antes de sua parada e a seguiu. João era um rapaz tímido, teve vergonha de chamar pelo nome de Amanda. ( Ele já havia lido o nome escrito na aba do livro) e ao ver sua inspiração por leitura com medo, acabou ficando acanhado, mal sabiam os dois que este encontro viria a mudar todo o rumo desta história...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. êêêêêêê... ó aí, ó! Trouxe uma participante pra vc, Paulo! rs

      Excluir
    2. Juliana, um final romântico, legal, e uma estória que não só mudou os caminhos da protagonista como do rapaz, o João, e a leitura foi o ponto em comum desse encontro entre os dois, demais Ju. Parabéns e obrigado por vir comentar aqui.

      Joicy, valeo por tê-la trazido aqui, fico devendo essa, kkkk.

      Excluir
  16. e...era o dono de uma das escolas em que ela dava aulas, o Dr Prof. Paulo Amorin! Surpresa e sem entender o que aquele homem tão importante fazia ali aquela hora, a pé, sem o carro...
    - Não se assuste, Amanda, é que meu carro quebrou logo na virada daquela esquina, e como vi você passando, pensei: vou pedir uma carona pra Amanda e...
    - Oh, Prof. Paulo, infelizmente não tenho carro - foi dizendo a moça, ajudando ao Sr Paulo a recolher os livros caídos ao chão.- eu vou pra casa de ônibus e...
    - Bem, penso que, se você não se importa, posso acompanhá-la até sua casa? Na verdade, moro só, ninguém me espera em minha casa. Depois um mecânico busca meu carro.
    Amanda, ficou indecisa. Aquele homem maduro, de olhar penetrante, sempre sério, reservado, o tipo de homem que ela...
    - Certamente Prof. Paulo. Será um prazer!
    Durante o longo trajeto que o ônibus fizera, ambos, Amanda e Paulo, foram conversando sobre muitas coisas, sobre a Educação no País, sobre Política, livros, poesia, escola, sobre o aniversário do irmãozinho que ela estava planejando, um convite gentil que ele acitara imediatamente, também sobre as...suas vidas.
    Desejavam intimamente que aquela viagem demorasse mais e mais. Havia tanto pra se falarem...


    Ai ai...Paulo, adorei participar. Muito bom poder entrar na história e alheia e ter a oportunidade de interagir e criar. Adorei!

    Bjos da Lu...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Centelha, é bom mesmo poder dar um rumo diferente e nosso a uma estória, e gostei bastante da tua, um final inusitado e singelo, e finais felizes também fazem parte de estórias policiais, ou não?

      Valeu pela participação, abração Lu.

      Excluir
  17. ...e não consegue reconhecer aquele rosto, pois a rua era mal iluminada e a noite sem lua. Contava apenas com algumas frestas de iluminação vindas de alguns veículos que passavam rapidamente pela avenida paralela à rua e recriminou-se por não seguir o caminho mais seguro - "maldito atalho!", pensou. Assustada, Amanda resolve perguntar quem era aquele homem misterioso e recebe uma resposta estranha:

    - Meu nome é Jack.

    Impossível não relacionar o nome ao lendário "Jack,o Estripador", e isso deixou Amanda apavorada. O homem usava um sobretudo que o deixava exatamente com a aparência retratada nas imagens sobre o misterioso serial killer de Londres.

    - Procurei você por toda a parte, finalmente a encontrei.

    Amanda ficou sem reação ao ouvir essas palavras do homem misterioso. Tentou reconhecer a voz, mas era grossa, quase gutural, não conhecia ninguém com esse tom. Mil pensamentos pela mente de Amanda: o que esse sujeito queria? Pensou nos pais, pensou nos irmãos e especialmente em Miguel: será que não veria a festa de aniversário do irmãozinho querido? Não, não podia acabar assim, mas tinha medo da reação do homem. A melhor coisa a fazer seria ganhar tempo e contar com alguma distração para fugir ou, quem sabe, algum policial apareceria.

    Amanda formulava as estratégias quando o homem falou mais uma vez:

    - Agora, professora, vamos acertar as contas!

    Ele a chamou de "professora". Um ex-aluno, talvez? Então ela a conhecia de algum lugar. Há quanto tempo era seguida? Se fosse vingança - e não saberia o porquê da vingança - seria muito cruel, pois na véspera do aniversário do irmão querido! Antes que Amanda pudesse formular uma nova teoria, o homem agachou, pegou o celular com uma lanterna e iluminou as redondezas:

    - Finalmente posso te devolver o livro que me emprestou há tanto tempo, professora! Acho que a senhora nem lembrava.

    Com a luz Amanda viu claramente o rosto: era Jack, na verdade, Jackson, um ex-aluno de um curso de inglês em uma comunidade carente e do qual ela trabalhou no fim de sua graduação. Mas isso fazia muito tempo.

    - Jackson! Você me deu um susto, não o reconheci! Faz tanto tempo e sua voz está muito diferente...

    - Sim, professora, é que estou um pouco resfriado, por isso estou usando este sobretudo para me proteger do frio. Desculpe se a assustei, mas tentei entregar esse livro ainda na escola, só que avisaram que a senhora saiu 20 minutos mais cedo da última aula. Eu já havia desistido e estava indo para casa quando te vi no ponto, esperando o ônibus. Tentei te alcançar, mas você entrou em um transporte e seguiu caminho. Perguntei qual o destino daquele ônibus e me informaram - felizmente, 5 minutos depois apareceu outro ônibus para o mesmo bairro. Os veículos chegaram praticamente juntos no bairro, mas te vi entrando nesta rua e a segui. Eu não podia gritar, afinal minha garganta está péssima.

    - Nossa, Jackson, mas tanto trabalho para me entregar o livro? Poderia deixar para outro dia.

    - Não ia dar, professora: neste final de semana viajo para a Austrália, farei intercâmbio por lá. Consegui uma bolsa na faculdade onde estudo e vou demorar um tempinho na terra dos cangurus.

    - Que ótima notícia, Jackson, meus parabéns!

    - E tudo começou com a senhora, professora. Graças às suas aulas comecei a gostar de inglês, procurei estudar mais, entrei na faculdade de Letras e agora farei parte dos estudos lá. E este livro que a senhora me emprestou ajudou muito, pois é caro e não tinha condições. Gostaria de devolvê-lo e dizer o quanto agradeço.

    Emocionada, Amanda abraçou o ex-aluno, desejou sorte e seguiu para casa. Quando chegou ao lar, quando todos dormiam, foi para o quarto e abriu o livro. Na contra capa encontrou uma dedicatória, escrita em inglês:

    Dear teacher,

    this book and your classes they served like a passport for me: now I am following new routes in searching of my dreams! Thank you for everything!

    Best regards,

    Jack.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Taquepariu Jaimezinho... vc me prendeu a atenção pra caramba, com esse suspense! Já estava esperando a muié ser fatiada aos pedacinhos, bem no estilo jack estripador! haahahahahahahah... Adorei! Começou de um jeito e nos surpreender! Excelente...

      Aí, ó Paulo... compartilhei lá no face e trouxe o Jaiminho tbem!

      Excluir
    2. Nossa! Até eu pensei que fosse aquele Jack !! kkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    3. Jaime, sem comentários cara, bom demais mesmo, que final inusitado e diferente, e quando o cara disse Jack, pensei que o fim seria sangrento a lá Agatha Christie, mas teu final tomou um outro rumo, e foi mais um fruto que a Amanda colheu pela sua bondade e amor ao ensino.

      Obrigado pelo texto, parabéns.

      Excluir

Olá queridos, você está em meu site, o paulocheng.com, um espaço onde eu escrevo e posto minhas impressões, meus devaneios, minhas inspirações e sandices, desde já agradeço pelo acesso, lembrando que você não é obrigado a comentar, pois não há uma obrigatoriedade ou imposição, caso você não ache interessante ou esteja com preguiça, não tem problema, o que quero aqui é o prazer acima de qualquer coisa, e não obrigatoriedade, ok? Que Deus possa te abençoar em Cristo Jesus.