sábado, 26 de novembro de 2011

Poema de Jorge Pimenta

Jorge Pimenta
Olá amados, é com um imenso prazer que trago neste sábado um texto cedido por meu amigo lusitano Jorge Pimenta, professor de Português-Inglês, mestre em Educação, poeta e blogueiro, seu maravilhoso blog se chama : Viagens de Luz e Sombra. Este poema, de 2009 de sua autoria (não plageiem, kkk) foi cedido gentilmente para o meu site para que nos regozijemos com as inefáveis palavras desse maravilhoso poeta. Se deliciem lendo-o e façam uma visita ao seu blog, vale à pena pessoal, um abração em especial ao Jorge e a todos vocês.





Rua crepuscular

Há-de chegar o crepúsculo
nas linhas macilentas de um velho
com o olhar marejado de recordações
e o corpo dobrado pela esperança.

Aqui e além
um rafeiro espreguiça o tédio,
um gato geme à porta fechada
– este mundo de silêncios espaçados
cavalga no lusco-fusco
da noite que ainda não é,
do dia que já foi,
enquanto o tempo escorre, vagaroso,
pela clepsidra de vidro estalado.

Nunca lhes ouvi o nome ou a direcção
– que importa
se a rua
é apenas estilhaço de cristal
bocejando em cadência lenta
pelas galerias subterrâneas
do eco existencial?
(ainda assim, sabes que esperei à tua porta?)

Sem aviso,
o luar pousa-me nas mãos
lambendo o linho
que esconde as linhas,
e vazando os olhos de um cofre sem chave
que guarda aquilo a que, em tempos,
soube chamar alma.

Hoje,
é apenas ponto de passagem,
parede de sombras vigilantes
e rosto com pétalas de indiferença
– louco, por que haveriam de reparar em ti?... –,
onde os cães uivam à lua
e os gatos me confundem com a solidão.

Jorge Pimenta
15 de Novembro de 2009


Paulo Cheng

14 comentários:

  1. O Jorge é um cara muito bacana, inteligente, sensível, com um dom raro com as palavras, cada texto dele viajamos no mundo da literatura, e fico grato por esse belo texto no qual ele cede para postar aqui, são textos que lemos e nos sentimos de bem com a vida, um abração ao Jorge.

    ResponderExcluir
  2. paulo,
    sinto-me por ti distinguido de modo muito especial, ao me concederes o privilégio de deixar que algumas das palavras que um dia arranquei à boca aqui se deponham, nesta tua escrivaninha de afetos.
    como te dizia, este meu texto tem já quase dois anos, mas representa muito para mim; desde logo, uma viragem no meu processo de composição poética, hoje mais difusa, invocativa, talvez mesmo mais metafórica e conceptual do que foi durante anos.
    um sincero obrigado!
    forte abraço, caro amigo!

    ResponderExcluir
  3. Adorei ver essa poesia do Jorge aqui e ele escreve com o coração na ponta dos dedos, inspiração linda! abração,tudo de bom,chica e um lindo domingo!

    ResponderExcluir
  4. Paulo, tudo bem amigo?
    Que maravilha! Fico muito feliz em assistir a dois amigos meus interagindo.
    Sensacional a tua ideia de postar poema do Jorge, parabéns Paulo pela iniciativa a aproximar dois mundos!

    Acompanho o trabalho do Jorge desde março deste ano e, percebe-se sim uma diferença entre sua produção passada e a atual.

    Aqui neste poema, o tempo mistura-se à história do homem, refletindo memórias em suas entranhas, misturando-o ao cenário que além do espaço, também é o próprio tempo.
    Um sentir esvair-se da matéria, sendo ainda matéria.Um tanto de melancolia de passagem.

    Poema tecido como quem escolhe temperos e coloca finos pratos à disposição do leitor. Essa característica é da essência da obra do nosso poeta de além-mar, e permanece intacta.

    Grande abraço, Paulo, e beijinhos na Michel!
    Tenham um excelente fim de semana! ... e descansa amigo (se não estiver no plantão, não é?)

    ResponderExcluir
  5. Para um fim de semana, nada melhor que mergulhar na doce magia da poesia para reabastecer a mente e a alma também. Parabéns ao seu autor Jorge Pimenta pelo brilhantismo com que se expressa nas linhas que sustentam essa poesia. Um grande abraço para você, também Paulo.

    ResponderExcluir
  6. Caramba Chengão, meu irmãozim marélim, que legal esse texto e esse espaço que você cedeu ao Jorginho portuga! Ele é uma cara sensacional, já conversamos bastante por e-mail e ele me ajudou em algumas questões que tinha naquele conto da Idade Média que escrevi.

    Puxa... Como ele sabe lidar com as palavras né? As entrelinha dos textos dele são maravilhosas, ele não escreve nada óbvio, tudo pode ter vários significados! Realmente é um mestre!

    Prabens Chengão e Jorginho!

    ResponderExcluir
  7. Oi Paulo!!

    Parabéns pela homenagem a este grande ser humano que é o Jorge Pimenta.
    Além do seu grande talento na arte da escrita ele é uma pessoa especial.
    Generoso, atencioso com os amigos, inteligente e humilde..

    Bela escolha em homenagear tão especial pessoa.

    Bjkas

    ResponderExcluir
  8. Muito bonito e agradável este género de poesia.
    Parabéns pela escolha e obrigado por me levares até à fonte onde corre assim sabedoria e bom gosto.

    ResponderExcluir
  9. O jogo de palavras utilizado pelo Jorge é algo surreal! Faz a gente pensar, engolir e digerir, não apenas, ler e clicar em outro lugar para ler também.
    Ninguém passa incólume pelas poesias dele!!!!! Parabéns, Jorge!

    Parabéns também a ti, Paulo, pela gentileza, humanidade, carinho, com que trata os amigos, sempre dando-lhes oportunidade de mostrarem a sua arte! Abraçãoooo em ti e na Michel! Um final de semana abençoado!

    ResponderExcluir
  10. Ae Chengão, tudo blz?
    Que belo poema!
    Eu não conhecia o talento desse cara, agora vou ir conhecê-lo na blogosfera o/

    Ah sim os japoneses fazem mesmo uns cosplays bem caprichados de seus personagens. Entretanto meus preferidos são os europeus. Sei lá acho que os Europeus conseguem deixar os personagens absurdamente belos, como idealizamos.
    Olha eu vou indo como sempre. A correria ás vezes cansa. Por exemplo, a semana nem começou e eu já quero que chegue o final de semana! @_@ Assim fica dificil rs.
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Macedo da Silva, Natal, RN.

    Um belo poema, uma verdadeira obra-prima literária, o Jorge Pimenta é muito talentoso e habilidoso com as palavras. Gostei de conhecer este poeta, um grande abraco aos dois.

    ResponderExcluir
  12. Nossa Paulo que lindo, como ele escreve bem, com emoção, eu gostei muito, as vezes as pessoas escrevem poemas e poesias, pesadas que nos fazem cansar de ler, mais essa não é leve, solta. Amei!
    Ando bem sumida daqui, me perdoe pela falta de passagem por aqui, até vim ler suas postagens, mais como ando com a cabeça cheia, não queria sair por aqui e comentar de qualquer maneira, tipo: Legal, gostei, beijo chtau!!
    Pra mim o comentário tem que ser doado de coração, vir aqui, ler, gostar e comentar. Estou bem cansada, mais não é o fisico e sim o espirito, tem hora que sinto que ele vai me abandonar, mais estou aqui bem presente, mais uma guerra a ser lutada e como todas, está eu tbm irei vencer!! Bjs e suas postagens anteriores a essa, simplesmente perfeitas. =D
    Ahhh... não ligue para o clima de natal do meu Blog, dei uma de criança e fui brincar, enfeitei ele, para ver se este clima passe um pouco pra mim... rsrsrsrs... Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Paulo, tudo bem?
    Estamos preocupados...
    deve estar sem internet.
    Quando restabelecer nos procura, eu e o Dedé Mansim.
    Abração e ótima semana!

    ResponderExcluir
  14. boa escolha, Paulo
    abraço
    LauraAlberto

    ResponderExcluir

Olá queridos, você está em meu site, o paulocheng.com, um espaço onde eu escrevo e posto minhas impressões, meus devaneios, minhas inspirações e sandices, desde já agradeço pelo acesso, lembrando que você não é obrigado a comentar, pois não há uma obrigatoriedade ou imposição, caso você não ache interessante ou esteja com preguiça, não tem problema, o que quero aqui é o prazer acima de qualquer coisa, e não obrigatoriedade, ok? Que Deus possa te abençoar em Cristo Jesus.