quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Saber viver

Photo by Paulo Cheng 
Viver é uma imprescindibilidade, viver bem, uma arte, poucos são os que molham os pés no mar do regozijo, e menos ainda os que se banham nas águas cristalinas do gozo existencial. Em meio aos paradoxos existenciais, e mesmo que a vida seja um campo prolífero de antagonismos, saber extrair beleza em meio ao caos é uma destreza, abduzir encanto em meio à desordem, uma perspicácia. A grande maioria da humanidade transita por esta existência numa vida opaca, obscurecida pelo ignorância ou imaturidade, sempre enxergando a vida como uma tortura inexorável, onde somente as contingências e frustrações são superdimensionadas. Mesmo com os acasos e desilusões, podemos sim absorver o lado bom da vida em sua plenitude, basta sabermos viver.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Internet, ideologia de gênero e modernidades: ameaçando a pureza de nossas crianças

Photo by Paulo Cheng
Pega-pega, pique-esconde, guerra de carrapateira, papagaio, pular corda, bolas de gude, amarelinha, antigamente o divertimento da criançada estava a anos luz de tecnologias ou modernização, era brincadeiras simples, divertidas, que demandavam muita energia e liberdade, onde a criançada realmente extravasava seu vigor pueril. Mas infelizmente, nos dias de hoje, quase não há resquícios de uma infância tão saudável como foi a de antigamente, digo há 20, 30 anos atrás, e a inocência em ser criança já é algo que ficou para trás, já não se faz mais infâncias como antigamente.

sábado, 7 de outubro de 2017

Tudo passa

Photo by Paulo Cheng
O tic tac do relógio temporal é inclemente, a cada tic, subtrai uma fatia do tempo, e a cada tac, suprime os nossos escassos momentos vitais. A finitude da vida é implacável, não privilegia uns em detrimento de outros, todos estão debaixo da inexorabilidade da brevidade da vida, o tempo, como senhor supremo, norteia os nossos passos, direciona as nossas sendas, e mitiga as nossas ações. Somos subservientes deste senhor chamado tempo, escravos de sua volição, e vassalos dos seus caprichos.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Amazônia: o pulmão do mundo agoniza!

Photo by Paulo Cheng 
Desde a minha tenra idade, escutei a esmo que a Amazônia era o pulmão do mundo, com sua diversidade biológica, terrestre e aquática, sua fauna e flora complexas, e suas belezas naturais deslumbrantes, um lugar único e sui generis, com suas riquezas minerais e sua abundância em água potável, sim, o pulmão do mundo, catalizador climático mundial, não obstante sua fama de órgão mantenedor da respiração do grande corpo que é o planeta, a respiração límpida está cada vez mais ofegante, e o ar, cada vez mais poluído, o pulmão do mundo agoniza.