quinta-feira, 13 de julho de 2017

Viver impreciso

Photo by Paulo Cheng 
Na vida só temos uma certeza: nascemos e morremos. E muitas vezes não há tempo para envelhecermos, pois essa sequência natural muitas vezes é interrompida abruptamente por motivos alheios à nossa vontade, pois as imprevisibilidades da existência sempre nos espreita em cada esquina escura e erma, e de sobressalto, nos prega uma peça na qual não esperamos, viver é sempre impreciso.

terça-feira, 20 de junho de 2017

No limiar entre o amor e o ódio

Photo by Cheng

“a vingança é um prato que se come frio”; “aqui se faz, aqui se paga”; “o inferno te aguarda”; provérbios horripilantes, adágios populares medonhos, os seres humanos conseguem ser, paradoxalmente bons e maus, sublimes e sinistros, amáveis e iracundos, os sentimentos que tecem os retalhos de nossas emoções são ambíguos e imprevisíveis, se manifestam de acordo com os estímulos internos e externos, somos uma caixinha de surpresa, tanto boa quanto má.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Quero


Quero, abraços mais apertados, sorrisos largos, olhares compenetrados, e apertos de mãos mais firmes, sabendo que as amizades são pérolas de inestimável valor.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Com afeto e desprezo.

Photo by Cheng 
Os relacionamentos interpessoais transitam pelos antagonismos, beiram as ambiguidades, e passeiam pelos binômios, rir e chorar, amar e odiar, abraçar e repelir fazem parte do cotidiano nas amizades e relacionamentos em geral. Os altos e baixos conseguem ditar a tônica e imprimir a qualidade na forma de como nos relacionamos com os outros, a simplicidade e a complexidade se reversam para dar cor e sabor.